GDPR: da ambiguidade à inovação - AppsFlyer (Portuguese)
3 Min. Read

GDPR: da ambiguidade à inovação

Avatar Karen Cohen Jun 05, 2018

Em 25 de maio foi encerrado o período de transição do GDPR, marcando o término de mais de dois anos de preparação para o novo regulamento europeu. As empresas celebraram com bolos, e nossas caixas de entrada e feeds nas redes sociais foram inundados com dezenas de políticas de privacidade atualizadas e memes hilariantes. Até agora, ninguém permaneceu indiferente — o GDPR é real (e obrigatório) e a web nunca mais será a mesma.

O escopo ambíguo do GDPR deixou muita margem para interpretação. Equipes jurídicas, de privacidade, de segurança e de marketing de empresas de todos os setores tiveram que definir as abordagens corretas para conformidade desde que o regulamento foi ratificado, há dois anos. Esse é o motivo para todas as variações de atualizações nas políticas de privacidade que você tem recebido ultimamente, além de e-mails de empresas que solicitam o consentimento para continuar enviando boletins informativos e materiais promocionais. Para ilustrar as diferentes maneiras com as quais as organizações trataram do GDPR, reunimos uma seleção de algumas das abordagens de marketing adotadas pelas grandes empresas.

 

Aceitar ou não aceitar: eis a questão

No âmbito do GDPR, os controladores de dados (marcas que recolhem dados) devem:

  1. ”…serem capazes de demonstrar que o titular dos dados consentiu o processamento dos seus dados pessoais.” (Artigo 7)
  2. “Fornecer ao titular dos dados o direito de se opor ao processamento de dados pessoais relativos a essa pessoa. Incluindo o direito de se opor ao marketing direto e definição de perfil.” (Artigo 21)

Considerando as duas cláusulas do GDPR acima, qual é a abordagem certa que as equipes de marketing poderiam ter adotado para cumprir o regulamento? Fornecer uma opção opt-in (obter consentimento) ou opção opt-out (tratar do direito de se opor) dos seus boletins informativos e e-mails? Ou talvez os dois?

Veja o e-mail abaixo enviado por uma grande marca de varejo; primeiro incentivando os usuários a aceitar e, em seguida, fornecendo opções de opt-in e opt-out. Quer o usuário esteja confuso ou não, essa marca certamente não quis dar chance ao acaso.

Embora a maioria das empresas tenha enviado e-mails com opções de desativação, algumas outras, como essa famosa empresa de mídia, decidiram adotar uma linha rígida e fornecer apenas a opção de opt-in. Isso nos faz pensar: e se a maioria dos destinatários não chegou a fazer nada com esses e-mails? Todos eles foram excluídos automaticamente?

Um catalisador de inovação

Dito isto, a conformidade com o GDPR não começa nem termina com as opções opt-in/opt-out de boletins informativos e políticas de privacidade. A natureza complexa do GDPR levou as empresas a seguir vários caminhos para todos os aspectos relacionados à regulamentação e, ao fazê-lo, impulsionou a inovação e tornou-se um verdadeiro catalisador para a transformação digital.

Vimos empresas indo além, lançando soluções novas e inovadoras para cumprir o GDPR — e algumas (como a AppsFlyer) decidiram se unir para formar um consórcio para agilizar o processo de conformidade.

O público tinha e ainda tem sede de conhecimento. Empresas experientes rapidamente entenderam que o GDPR é um assunto que deve ser alavancado e apresentaram novas oportunidades. Aqueles que o fizeram, rapidamente colheram os frutos de seu trabalho e ganharam força em seus respectivos setores.

O mais importante a lembrar sobre o GDPR é que não é um esforço de conformidade pontual. Pelo contrário: é uma jornada contínua que certamente irá evoluir com o tempo, mudando a natureza de como as empresas e os indivíduos interagem uns com os outros na esfera digital. O ponto principal é que o GDPR veio para ficar; então, as empresas devem abraçar a mudança e aprender a inovar, crescer e competir em meio a um novo cenário regulatório.