Accelerated mobile pages (AMP)

As páginas AMP (do inglês, Accelerated Mobile Pages) são uma estrutura do Google para criar páginas da web que melhoram a velocidade de carregamento de uma página e a experiência do usuário.

O que são accelerated mobile pages (AMPs)?

Uma AMP é uma estrutura de engajamento que foi introduzida pelo Google em 2016, voltada para a criação de páginas na web.

Embora o objetivo geral das páginas AMP seja a melhoria da velocidade de carregamento das páginas e da experiência do usuário, elas trazem vários desafios que impedem que elas ganhem mais força como um modelo de página da web.

Na verdade, as AMPs existem em paralelo com as páginas mobile comuns, o que significa que, normalmente (se não sempre), o conteúdo pode ser encontrado em duas versões diferentes da mesma página. Assim, as duas páginas são conectadas por uma tag de cabeçalho especial, usada pelo GoogleBot para a indexação (espera-se que outras tecnologias além do GoogleBot também façam esse processo no futuro).

Por que as AMPs são importantes?

Para a maioria dos produtores de conteúdo, as páginas AMP são úteis por dois motivos:

  • Experiência do usuário aprimorada graças a velocidades de carregamento mais rápidas
  • Visibilidade no Google

Considerando que, hoje, um atraso no carregamento de uma página pode significar a perda definitiva de um novo usuário em potencial, uma AMP oferece um grande upgrade à sua página da web.

Isso é especialmente útil para sites que possuem códigos complexos e com baixa performance, ou sites que interagem com outros conteúdos como parte de sua plataforma.

As AMPs exigem certo investimento para serem configuradas, mas fornecem uma melhora drástica na experiência do usuário, pois a maior parte do trabalho pesado é feito pelo Google.

Por outro lado, se o seu site for bem estruturado e apresentar uma boa performance de forma consistente, a AMP também é útil para melhorar sua visibilidade nas pesquisas do Google.

No AMP Carousel que o Google introduziu pouco depois de lançar a estrutura da AMP, as consultas relacionadas a notícias são colocadas perto do topo das páginas de resultados e desfrutam de um tratamento especial por serem os “grandes” apoiadores da AMP (com a exceção do Facebook e Apple).

Quais são as limitações das AMPs?

Desde o seu lançamento há alguns anos atrás, as comunidades da web e os publishers têm duas críticas principais:

  • O tráfego é “roubado” da empresa
  • Poucos recursos de monetização

Por ser uma estrutura bastante limitada, as AMPs não permitem que os usuários cliquem no conteúdo do publisher a partir da própria AMP. Em vez disso, os usuários são direcionados de volta aos resultados de pesquisa do Google, “roubando” o tráfego da empresa e dificultando a mensuração do site a longo prazo.

O outro grande problema das AMPs é que elas são muito difíceis de monetizar. O “roubo” de tráfego das empresas também significa menores taxas de tráfego e receita. Infelizmente, quando muitos publishers começaram a adotar as páginas AMPs por causa de sua exibição na pesquisa do Google, eles rapidamente perceberam esses problemas.

Esses motivos fizeram com que a adoção das AMPs fosse mais lenta do que o de outras tecnologias emergentes. Embora existam benefícios óbvios para a experiência do usuário e a visibilidade da página, também existem vários desafios que devem ser solucionados antes que as AMPs ganhem destaque na web mobile.

Comece a fazer as escolhas certas